Os estudos qualitativos surgiram como alternativa ao paradigma positivista e aos estudos quantitativos que se mostraram ineficazes para a análise e estudo da subjectividade inerente ao comportamento e actividade humana.

A própria definição de estudo qualitativo não é uniforme, daí as inúmeras definições divergentes. Não obstante, algumas características são comuns. Na opinião de Denzin e Lincoln (1994:2):
«Qualitative research is multimethod in focus, involving a interpretative, naturalistic approach to its subject matter. This means that qualitative researchers study things in their natural settings, attempting to make sense or to interpret phenomena in terms of the meanings people bring to them.”
Creswell (1997:15) reforça as características holísticas e interpretativas de um estudo qualitativo, reforçando a multiplicidade dimensional do problema, o que revela a sua complexidade:
« Qualitative research is an inquiry process of understanding based on distinct methodological traditions of inquiry that explore a social or human problem. »

Coutinho (2005), relativamente aos estudos qualitativos, refere ainda que:
«A nível conceptual, o objecto de estudo na investigação não são os comportamentos, mas as intenções e situações, ou seja, trata-se de investigar ideia, de descobrir significados nas acções individuais e nas interacções sociais a partir da perspectiva dos actores intervenientes no processo (…)

Os “estudos qualitativos constituem uma família de planos de investigação, que partem de pressupostos epistemológicos, filosóficos e metodológicos caracterizados por uma rejeição do modelo das ciências naturais” (Coutinho 2005, p.).

Principais categorias de estudos qualitativos
De acordo com Creswell (1998) e também Coutinho (2005) de entre múltiplas variedades de estudos qualitativos, apontaremos aquelas que são mais representativas e mais frequentemente utilizadas, embora muitas vezes com variações:
· Estudos etnográficos:
- O investigador estuda um grupo culturalmente intacto durante um período prolongado de tempo, recolhendo, sobretudo através de observações e seu registo pormenorizado, os dados.
· Grounded Theory (teoria fundamentada):
-O investigador busca desenvolver uma teoria baseada em dados sistematicamente recolhidos e analisados; útil em estudos que envolvem a descrição e explicação de fenómenos em determinados contextos (por exemplo ensino-aprendizagem.
O investigador busca desenvolver a sua perspectiva teórica relativamente a um determinado assunto ao mesmo tempo que a vai fundamentando na observação empírica.
· Estudos de caso:
- Exploração de um único fenómeno, limitado no tempo e na acção, onde o investigador recolhe informação detalhada.
É um estudo intensivo e detalhado de uma entidade bem definida, um caso, que é ‘único, específico, diferente e complexo’.
· Estudos fenomenológicos:
- O investigador pretende conhecer e compreender o objecto; o seu problema de investigação. Estuda um número limitado de sujeitos através de um envolvimento prolongado e intensivo, de forma a analisar os significados.

De uma forma geral podemos então afirmar que os estudos qualitativos têm como principal objectivo a compreensão das necessidades, motivações e comportamentos dos participantes num estudo. São, em regra, a escolha metodológica ideal para projectos de investigação em que se pretende estudar de uma forma aprofundada, opiniões, atitudes, motivações e padrões de comportamento sem grandes preocupações de quantificação. Este tipo de estudo aborda a problemática de forma naturalista, procurando perceber/interpretar o que determinados fenómenos significam para o sujeito. Muitas vezes este tipo de estudos potencia a exploração e identificação de conceitos num ambiente de forte interacção.


«« voltar